23/05/2014

NA PONTA DA LÍNGUA apresenta:

                            Dança de salão




Dança de salão refere-se a diversos tipos de danças executadas por um par de dançarinos. As danças de salão são praticadas socialmente, como forma de entretenimento, integração social e competitivamente como Desporto. Alguns dos tipos de dança de salão foram desenvolvidas no Brasil, como, por exemplo: o forró (do Nordeste), o samba de gafieira, o maxixe entre outras.

A dança de casal foi levada pelos colonizadores para as diversas regiões das Américas, onde deu origem às muitas variedades, à medida que se mesclava às formas populares locais: tango na Argentina, o maxixe, que deu origem ao samba de gafieira, no Brasil, a habanera, que deu origem a diversos ritmos cubanos, como a salsa, o bolero, a rumba etc.

Nos Estados Unidos, o swing surgiu de grupos negros dançando ao som de jazz no início dos anos vinte. As primeiras danças criadas foram o charleston e o lindy hop. Essas deram origem a vários outros tipos de danças estadunidenses, como o jitterbug, o balboa, o west coast swing e o east coast swing.





A dança de salão chegou ao Brasil trazida pelos colonizadores portugueses, ainda no século XVI, e mais tarde, pelos imigrantes de outros países da Europa que para cá vieram. Num país como o Brasil, com tão fortes e diferentes influências culturais, não tardaram a se mesclar contribuições dos povos indígenas e africanos, num processo de inovação e modificação de algumas das danças europeias importadas, bem como de surgimento de novas danças, bem brasileiras. O Rio de Janeiro, na medida em que foi capital do Brasil desde o período colonial até 1960, sempre foi o polo irradiador de cultura, modismos e inovações em geral para o resto do país.

Em 1808, a corte portuguesa transferiu-se para cá e trouxe consigo muitos dos gostos e hábitos sociais europeus daquela época, inclusive as danças que estavam na moda e o costume dos bailes frequentes. Durante todo o século passado, qualquer evento era motivo para um baile: aniversários, noivados, casamentos, formaturas, datas cívicas, visitas de parentes e amigos, etc. Professores de dança europeus, especialmente os franceses, eram contratados para manter os membros da nobreza brasileira em dia com as danças que estavam na moda nas mais importantes capitais europeias.

Assim, a dança, com toda essa sua vida pregressa popularizou-se também aqui no Brasil.

Você está triste, é depressivo, acha que não tem jeito para a dança, nenhuma dieta funciona com você? Malhar está longe das suas prioridades? A dança pode ser a solução! Essa atividade ajuda a manter a forma, a levantar a autoestima e até a arranjar namorado (ou curtir mais o marido). Além disso, faz bem à saúde, protegendo o corpo de problemas cardíacos e respiratórios.


Segundo o dançarino e coreógrafo Carlinhos de Jesus, a dança de salão desestressa e é uma excelente terapia, uma vez que desenvolve o raciocínio, também ajuda a desinibir até pessoas que são muito tímidas.

Mas a falta de ginga não deve servir de desculpa para ninguém! "Se você é capaz de se levantar, caminhar, dar 'até logo' e cruzar as pernas, já tem ritmo. Basta não ter medo de errar", garante o famoso coreógrafo.

Que tal aproveitar o final de semana para dançar? Sair dançando por aí emagrece, deixa você com o corpo sarado e melhora seu condicionamento. Como se tudo isso não bastasse, a dança ainda faz com que você fique mais saudável, inteligente e feliz!


Existe um tipo de música para cada momento. Quer saber qual ritmo combina mais com o seu momento? Dê uma olhadinha nas dicas do coreógrafo Jaime Arôxa, publicadas na revista WOMEN´S HEALTH. Aqui estão as melhores dança para cada situação.

• Para os novatos: bolero. A música é lenta e ideal para quem está começando a dar os primeiros passinhos. Além disso, o ritmo faz com que os iniciantes sintam a melodia e se deixam levar…

• Para queimar muitas calorias: zouk. Essa dança é originária das Antilhas e conta com os passos da lambada. O ritmo é caliente e você vai suar bastante. É ótimo para dançar em grupo, com os amigos.

• Para melhorar o humor: samba. Coloque um sorriso no rosto e saia correndo atrás de uma roda de samba. O ritmo anima bastante. Pés e quadris nunca ficam parados.


• Para tonificar: pole dance. Você ganhará músculos tonificados de braços, pernas, costas, barriga e glúteos. Esse resultado se deve às acrobacias no poste, com subidas, descidas e giros.

• Para aliviar o estresse: dance do jeito que você quiser. Escolha a sua música preferida e libere as energias na sala de casa. Ou então convide seus amigas para uma balada na pista de dança. Dance, dance, dance!

Procure uma Academia de Dança, faça sua matrícula, matricule seus filhos e curta, delicie-se com a dança...


Pesquisa: silveira - Fontes: mdemulher.abril.com.br/ pt.wikipedia.org/wiki  - Fotos: www.google.com.br - Vídeos: www.youtube.com