09/04/2014

NA PONTA DA LÍNGUA apresenta: Cristal


                                                          TAÇA DE CRISTAL



Na linguagem corrente e no comércio, a palavra cristal é utilizada para designar vidros de elevada transparência e qualidade, genericamente comercializados como cristais. Estes cristais de vidro não são mais do que vidro com um elevado teor de óxido de chumbo, os quais, como vidros que são, não têm estrutura cristalina, já que neles os átomos não apresentam qualquer forma de arranjo regular. Tais vidros, apesar de denomianados cristais, não podem de forma alguma ser considerados um cristal no sentido utilizado no presente texto.

Embora o termo cristal tenha um significado preciso no âmbito da ciência dos materiais e da física do estado sólido. Existe vários tipos de cristais como o gelo, a neve e o sal de cozinha, outros são na realidade vítreos, isto é são compostos por materiais cujos átomos não apresentam qualquer ordenação especifica, que é este caso, uma taça de cristal.

Assim como as melhores uvas produzem os melhores vinhos, a perfeição nos cristais é atingida quando se utiliza as melhores matérias-primas. Quando se trabalha com matérias-primas que agregam a cada copo, ou 
taça de cristal, características únicas que podem estimular os sentidos durante a degustação.
Para adquirir boas taças, você deve prestar atenção a alguns detalhes. O primeiro é o material. Deixe de lado qualquer uma que não seja completamente transparente, afinal, parte do prazer de degustar um vinho também está em olhar para suas tonalidades, que dão dicas sobre o tipo de uva e idade da bebida. O máximo de transparência e brilho, facilitando a análise visual da bebida e despertando o desejo de degustá-la; Tudo isso facilita e intensifica a visualização das cores, a apreciação dos aromas e eleva a experiência da degustação.

Existem basicamente três opções: de cristal, cristal de vidro ou vidro. A diferença entre elas é a presença e o teor de chumbo, metal utilizado em sua produção. A taça de cristal tem até 24% de chumbo, a de cristal de vidro vem com cerca de 10% e a de vidro não tem. O chumbo dá mais leveza, delicadeza e sonoridade, além de fazer com que a espessura da taça seja mais fina. As taças de cristal também são mais porosas. Esse fator também é positivo, pois, ao girarmos um vinho enquanto o degustamos, forçamos as moléculas contra a parede áspera, quebrando-as e, desse modo, obtendo grande concentração de aromas.

Uma vez que você já possui as taças, é imprescindível que cuide bem delas, caso contrário, rapidamente seu prazer ao degustar será prejudicado. Para lavá-las, recomenda-se água morna e uma quantidade mínima de detergente líquido. Com ele, todo cuidado é pouco. Se a taça não for bem enxaguada, o produto pode alterar o sabor e o aroma do vinho e, no caso do Champagne, impedirá que se formem as borbulhas.


Todas as taças possuem haste e ela não está lá para nada. A haste serve para que você segure de maneira correta, sem encher o bojo da taça com marcas de dedos, por exemplo, além de minimizar o aquecimento do líquido quando em contato com a mão.

Bem, agora que você já sabe alguma coisa sobre uma taça de cristal, veja como ela é fabricada.


Pesquisa: silveira

Fontes: http://pt.wikipedia.org/ http://www.oxfordpromocional.com.br/ http://revistaadega.uol.com.br/

Vídeos: